A Estrutura De Trabalhos Científicos – Monografias e Artigos Científicos

A ESTRUTURA PADRÃO DE UMA MONOGRAFIA

Monografia é um trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado ou tese de doutorado, que se destina a estudar um assunto em específico, normalmente apresentada como um trabalho de conclusão de curso de graduação e pós-graduação.

 

Etimologicamente, a palavra “monografia” vem do grego monos, que significa “única”, e graphein, que quer dizer “escrita”. Ou seja, “monografia” significa literalmente “escrita única”, mas que é compreendida academicamente como um tipo de trabalho escrito que está relacionado com a unicidade de um problema; um único contexto sobre determinada área do conhecimento.

A monografia tem como principal objetivo reunir informações, análises e interpretações científicas que agreguem valor relevante e original à ciência, dentro de um determinado ramo, assunto, abordagem ou problemática.

Uma monografia pode ser dividida ou classificada em duas partes: lato e estrito. O sentido estrito da monografia refere-se a uma tese em si, ou seja, um trabalho científico voltado para a contribuição e crescimento do estudo de determinada área de pesquisa ou ciência. Já o significado do lato refere-se a produção de material científico de primeira mão, mas que não precisa ser necessariamente caracterizado como uma tese. Envolve também dissertações de mestrado, informes científicos, college papers ou mesmo monografias de graduação.

 

A ESTRUTURA

Mas vamos dar uma olhada da estrutura básica de uma monográfia, sem no entanto, nos aprofundarmos:

 

1)  FOLHA DE ROSTO

Contém o título do trabalho, nome da instituição onde trabalhamos ou estudamos, o nome completo do(o) autor(es), grau pleiteado, mês e ano. Porém, a ordem desses dados variam em cada instituição.

 

2) PÁGINA DE APROVAÇÃO

Se for uma monografia já concluída e defendida, como uma tese por exemplo, ela receberá uma Página de Aprovação, contendo o titulo da instituição, o título da dissertação, data da aprovação e a assinatura de todos os membros da bancada examinadora. Não é nossa função criá-la, sendo fornecida pela instituição e não recebe numeração de página.

 

3) PÁGINA DE AGRDECIMENTO

Fica à critério de cada autor, após a conclusão do trabalho, podemos mencionar e agradecer às instituições, pessoas, etc, que ajudaram em nosso trabalho.

 

4) SUMÁRIO

Será onde escreveremos os títulos de cada capítulo com o respectivo número de sua página, assim como as folhas que antecedem.

 

5) ÍNDICE

É onde vamos especificar os pontos principais de nossa dissertação, tais como, objetivos, metodologia, resultados e conclusões. Dependendo de cada instituição, podendo ser entre 500 a 700 palavras.

 

6) LISTAS DE TABELAS, DE QUADROS, DE FIGURAS E DE ANEXOS

Todas essas informações com os seus números de páginas, serão especificadas em uma folha separada logo após o índice principal.

 

7) CAPÍTULO I. O PROBLEMA

Começaremos a escrever a monografia, sendo que esse primeiro capítulo conterá introdução, formulação da situação-problema, objetivo do estudo, perguntas a serem respondidas, pressupostos conceituais, fundamentação teórica, formulação de hipóteses, importância e justificativa do estudo, definição dos termos, amplitude e delimitação de estudo e organização do restante da dissertação.

 

8) CAPÍTULO II. REVISÃO DA LITERATURA

Apresentação das obras e autores consultados (ou que consultaremos) na elaboração de nosso trabalho, destacando-se o que de importante apresentam, dando também, um suporte bibliográfico ao estudo.

 

9)CAPÍTULO III. METODOLOGIA OU PROCEDIMENTO METODOLÓGICO

Poderemos iniciar com uma visão geral introdutória, sendo opcional. Em seguida descriminaremos a metodologia, ou estratégia da pesquisa, podendo ser bibliográfica, documental, estudo de caso, pesquisa-ação, dentre outras. O capítulo conterá planejamento da pesquisa, seleção de sujeitos, tratamento experimental, instrumentação, tratamento estratégico, pressuposto metodológicos e limitações.

 

10) CAPÍTULO IV. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Nesse capítulo é estruturado em seções cujos títulos correspondem a cada pergunta levantada ou hipótese formuladas. Resultados de estudos empíricos são apresentados em tabelas.

 

11) CAPÍTULO V. SUMÁRIO, CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

No sumário desenvolveremos um breve relato do conteúdo e resultados dos três primeiros capítulos. Nas conclusões serão formuladas a partir dos resultados da pesquisa. E nas recomendações, ofereceremos sugestões práticas, visando implementar os resultados, ou para pesquisas adicionais.

 

12) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Segue o padrão e regulamentada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

 

13) ANEXOS

No final da monografia, colocaremos os anexos podendo ser tabelas com dados suplementares, leis ou pareceres de suporte para o nosso estudo e outros documentos importantes quando de difícil acesso, citações muito longas e outras coisas que acharmos interessantes e/ou necessário anexar.

 

O ARTIGO CIENTÍFICO

 Sem sombra de dúvidas, outro tipo de texto também muito requisitado e/ou produzido em trabalhos de conclusão de cursos são os artigos científicos, pequenos estudos, porém completos, tratando de questão unicamente científica.

 

Não constituindo em texto para livro, são escritos para serem publicados em revistas do meio acadêmico e técnico ou periódicos da mesma natureza.

Ele surgiu para preencher uma necessidade de rápida divulgação. Sempre quando concluímos um trabalho de pesquisa, seja ela documental, bibliográfica ou de campo, o nosso desejo é que os resultados seja conhecidos. Para isso, o melhor caminho será publicar tais resultados e, por isso, escrevemos os artigos, visando a sua maior divulgação.

A estrutura de um artigo científico segue basicamente a seguinte formação:

 

                1) PRELIMINARES

  1. a) Cabeçalho – título (e subtítulo) do trabalho
  2. b) Autor(es)
  3. c) Credenciais do(s) autor(es)
  4. d) Local de atividades

 

                2) SINOPSE

Breve resumo do todo o artigo

 

                3) CORPO DO ARTIGO

  1. a) introdução – apresentação do assunto, objetivo, metodologia, limitações e proposição.
  2. b) Texto – exposição, explicação e demonstração do material, avaliando os resultados e comparação com obras anteriores.
  3. c) Comentários e Conclusões – dedução lógica, baseada e fundamentada no texto, de forma resumida

 

                4) RARTE REFERENCIAL

  1. a) Bibliografia
  2. b) Apêndices ou anexos (quando houver necessidade
  3. c) Agradecimentos
  4. d) Data – importante para salvaguardar a responsabilidade de quem escreve um artigo científico, em face da rápida evolução da ciência e da tecnológica e demora de certas editoras na publicação de trabalhos.

O conteúdo de um artigo científico pode abranger os mais variados aspectos e, em geral, apresenta temas atuais, diferentes. Simplificam:

  1. a) versar sobre um estudo pessoal, uma descoberta, ou dar um enfoque contrário ao já conhecido;
  2. b) oferecer soluções para questões controvertidas;
  3. c) levar ao conhecimento do público intelectual ou especializado no assunto ideias novas, para sondagem de opiniões ou atualização de informes;
  4. d) abordar aspectos secundários, levantados em alguma pesquisa, mas que não seriam utilizados na mesma.

O estabelecimento de um esquema para expor de maneira lógica, sistemática, os diferentes itens do assunto, evita repetições ou omissões ao longo da dissertação. O público a que se destina o artigo precisa ser levado em consideração. Isto pode ser mais ou menos previsto, conhecendo-se de antemão a natureza da revista, seja ela científica, didática, de divulgação.

Acervo Inclusivo Emílio Figueira

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Militante das questões referentes às pessoas com deficiência desde a década 1980, nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, autor de uma vasta produção científica como psicólogo e psicanalista, tendo cinco pós-graduações e dois doutorados. Como escritor tem uma variada obra em livros impressos e digitais, passando de setenta títulos lançados, peças teatrais e roteiros audiovisuais.