CONVERSANDO SOBRE SUPERAÇÃO – Parte 2 – Por Emílio Figueira

AUTOCONHECIMENTO, UM OLHAR PARA DENTRO DE SI MESMO

Olá, tudo bem?

Esta é a nossa segunda conversa sobre Superação e irei falar sobre Autoconhecimento. Esse é um passo fundamental para atingimos nossas metas, propósitos e materializar os nossos desejos e objetivos pessoais.

São muitas as pessoas que enfrentam mudanças contínuas pessoais e profissionais. Dentro de nossa busca pelo bem-estar e crescimento interior, podemos repensar muitas coisas que nos permitem nos conhecer e nos orientar para o que nos satisfaz e para o que melhor sabemos fazer.

Ao final desta conversa você verá que as pessoas com autoconhecimento não ligam para o que os outros dizem ou acham delas. Sabem exatamente o que quer e tem uma autoestima bem elevada valorizando o que tem dentro de si e nos outros.

O QUE É AUTOCONHECIMENTO

Todos nós queremos ter autoconhecimento…

Não se desesperar quando as coisas não saíram do nosso jeito, tendo a noção que dermos o melhor fazendo bem feito e isso é o que importa. Por mais tumultuado que as coisas se apresentam, saber manter o otimismo, o entusiasmo e o equilíbrio emocional.

Ao determinarmos um objetivo, conseguir se focar nele, voltando-se para o presente sem deixar que o passado ou o futuro interfiram em nossas vidas. Saber que depende somente de nós mesmo para fazer as coisas darem certo.

Apesar de toda agitação e stress, conseguirmos entrar na frequência da Paz, sem deixar que o tumulto interfira em nosso equilíbrio emocional, conseguindo a qualquer momento aquietar-se. Não projetar a culpa nos outros em relação às nossas dificuldades. Não sermos um “peso” na vida dos outros.

Conseguir ver oportunidade em tudo o que nos cerca, sem ver os “problemas” como um problema e sim como um DESAFIO. Ter as outras pessoas como companheiras de caminhada, aprendendo com cada situação. Não julgar mais, pois sabe que errar faz parte do crescimento de cada um.

Mas também é fácil reconhecer as pessoas sem autoconhecimento…

Elas “vivem pra baixo” onde tudo é 8 ou 80 e parece que “está fora de si”. Na condição de “eternas vítimas”, lamentam-se de tudo e de todos, reclamando o tempo todo, dizendo que tudo é difícil. Não tem paciência com ninguém e quer tudo para ontem.

Como folhas ao vento, quase nada é planejado e “vai indo” pela vida e além disso julga e critica tudo o que os outros fazem ou dizem. Vivem se preocupando com todo mundo, quer ajudar a tudo e a todos e se sobrar um tempinho faz as suas coisas senão deixa-se em segundo plano.

Sentem medo de arriscar, de inovar ou de correr atrás das coisas preferindo ficar na “Zona de Conforto“. Parecem neuróticas e cheias de conflitos, culpando os outros se fazendo de vítima. Aumenta os seus problemas e não vê saída para nada, acreditando que não há possibilidade  nenhuma de sair dessa situação.  Dão grande importância para o que os outros falam sem acreditar em si mesmo.

O autoconhecimento é o conhecimento de um indivíduo sobre si mesmo, tendo controle sobre suas emoções, independente de serem positivas ou não.

Fortalecendo o controle emocional por meio do autoconhecimento, podemos evitar sentimentos de baixa autoestima, inquietude, frustração, ansiedade, instabilidade emocional e outros, atuando como importante exercício de bem-estar e ocasionando resoluções produtivas e conscientes acerca de seus variados problemas.

Todos nós temos esses recursos pessoais, que podem ser acionados de forma a não se desgastar se houver o controle das emoções ou ainda ser utilizado de forma a obter futura recomposição.

Assim conseguimos nos manter equilibrados em casos de fatores externos como críticas, perda de emprego, término de relacionamento e outros que vulneram o emocional.

O autoconhecimento não dá prioridade a opiniões ou respostas e sim estimula seus fatores positivos a detectar os negativos a fim de modificá-los favoravelmente.

Um dos caminhos para se buscar o autoconhecimento é a detecção dos nossos defeitos e qualidades, sendo esses externos (corporais) e internos (emocionais). O equilíbrio entre esses fatores deve ser buscado para que não haja espaço para manipulação e fragilidade.

Também pode haver reflexão de vida, analisando o comportamento obtido até então e as atitudes tomadas para que se consiga detectar maus atos e comportamentos, a fim de que não mais ocorram.

PRATIQUE O AUTOCONHECIMENTO

Sempre digo que uma coisa é termos sonhos. Outra coisa é traçarmos objetivos e escolhermos as ferramentas e os caminhos para conseguir atingi-los. Poucas vezes paramos para pensar, refletir e escrever nossas metas. Não paramos para analisar e ter consciência das características que facilitarão ou dificultarão atingir as metas.

Isto passa por objetivar o que sabemos sobre nós mesmos e sobre o nosso interior como seres humanos, valorizando a importância do autoconhecimento.

Eu vou lhe passar três técnicas para desenvolver em você o autoconhecimento de forma simples e eficaz:

1 – Pergunte-se: Quem Sou Eu?

Isto lhe permitirá ver quem você é, onde você está neste momento e quem você quer chegar a ser. A partir desse ponto, trace metas e escolha estratégias para conseguir chegar a ser a pessoa que almeja.

Para realizar essa primeira técnica pegue duas folhas de papel. Em uma folha escreva quem você é. Em outra folha escreva quem você deseja ser e como vai fazer para chegar a isto.

2 – A Linha Da Vida

Crie em uma folha uma linha horizontal que representa a sua vida, marcando um ponto bem ao meio que representa o agora.  De um lado comece a incluir as diferentes situações e experiências que tenha vivido no passado para ter consciência daquilo que considera relevante em sua vida.

No outro lado da Linha da Vida preencha parte de seu futuro, assinalando seus objetivos mais próximos e mais afastados no tempo.

Ao finalizar esta Linha Da Vida reflita sobre o que você tem vivido e sobre como se propõe conseguir e atingir os objetivos marcados para o seu futuro.

3 – Ter Um Diário De Emoções

Escutar as nossas emoções pode contribuir para revelar muitos detalhes sobre nós mesmos, sobre outras pessoas ou diferentes situações. E escrever sobre suas emoções em um diário é considerado uma técnica para facilitar o autoconhecimento.

Isto o leva a ter consciência – até mesmo visual – de seu próprio estado emocional. Conhecer quais são as emoções que mais se repetem em seu dia a dia, ou a origem delas, entre outras manifestações, poderá fazer com que você tenha um maior autoconhecimento em qualquer fase de sua vida.

Sintetizando: As pessoas com autoconhecimento não ligam para o que os outros dizem ou acham delas. Sabem exatamente o que quer e tem uma autoestima bem elevada valorizando o que tem dentro de si e nos outros.

Nossa Próxima Conversa…

Em nossa Terceira Conversa onde verá que amar-se é condição básica para elevar a autoestima, rumo às nossas conquistas. No menu ao lado estão todas as partes desta Série.

Se você puder, deixe um comentário abaixo dizendo o que você achou da conversa de hoje, dúvidas, sugestões, enfim, fique à vontade.

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Mas nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, autor de uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista, teólogo e personal coach com formação em Programação Neurolinguística. Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais, passando de cinquenta títulos lançados. Ator e autor de teatro. Várias entrevistas na mídia e em jornais. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira é professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.