MARTINHO DA VILA: 80 ANOS DE FILOSOFIA EM 80 MINUTOS!

Sábado à noite fui ao Teatro J.Safra. Achava que iria assistir a uma peça teatral. Só que assisti muito mais do que isto…

A peça musicada, “Martinho da Vila 8.0 | Uma Filosofia de Vida”, de Ana Ferguson, Luiz Marcelo Legey e Solange Bighetti, tendo como curadora, Cléo Ferreira, esposa do sambista, traça uma narrativa poética embalada por atores, trechos contados pela própria voz do cantor, compositor e escritor e projeções de fotos e os ambientes que retratam a sua vida pessoal e profissional desde a década de 40 até os dias atuais.

Essa que chamei de uma narrativa poética, foi construída magistralmente no palco pelos atores Ana Miranda, Isadora Bertacco, Junior Vieira, Esther Delamare, Nill Marcondes, William Vita e Lipe Soares, elenco que, humildemente, levanto-me simbolicamente nesta crônica para aplaudi-los de pé!

Como um disse no começo, eu assisti mais que uma peça. Assisti a construção de um belo texto que foi capaz de contar 80 anos de uma vida intensa em 80 minutos. Assisti uma direção que soube conduzir tudo delicadamente. Assisti atores que, com interpretações realmente cênicas, honraram a história de Martinho da Vila. O que não assisti com meus alhos, mas sei que esteve todo a tempo intrínseco o nessa construção visual poética, foram os trabalhos de outros tantos profissionais nos bastidores e coxias!

A todos vocês eu digo com sinceridade: BRAVO!!!

Uma das premissas da dramaturgia é que as pessoas saiam do teatro modificadas. E ontem realmente saí, meditando que, em um mundo tão acelerado, acabamos por conhecer as pessoas artificialmente. Eu conhecia o Martinho da Vila músico. Deixei a peça “Martinho da Vila 8.0 | Uma Filosofia de Vida” conhecendo um personagem real com tantas outras brilhantes realizações que fascinaram-me  de coração mesmo. Prefiro não contar para não estragar grandes surpresas de quem ainda irá assisti a esta peça que planeja a sair em turnê pelo Brasil.

Realmente a história de vida de Martinho da Vila é linda e inspiradora para um momento em que estamos vivendo com a falta exemplos de vidas positivas. Mas é uma história que podemos conhecer e degustá-la devagar, devagar, devagarinho…!

 

Os atores Junior Vieira e Nill Marcondes, que dão vida ao Martinho da Vila jovem e adulto
A atriz Ana Miranda, mãe de Martinho da Vila na peça
Lipe Soares, o Martinho da Vila quando criança
O diretor William Vita, também amigo e empresário de Martinho da Vila na peça
Ana Ferguson, uma das autoras e produtoras da linda peça musicada

 

Emilio Figueira

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Mas nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, autor de uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista, teólogo e personal coach com formação em Programação Neurolinguística. Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais, passando de cinquenta títulos lançados. Ator e autor de teatro. Várias entrevistas na mídia e em jornais. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira é professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.