Sarepta e Mauricio de Sousa lançam novo personagem da Turma da Mônica com doença rara

Projeto editorial “Cada passo importa” conta a história do Edu, portador da Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), doença genética caracterizada pela deterioração muscular progressiva

 

A Sarepta, líder em medicamentos genéticos para doenças neuromusculares raras, e a Mauricio de Sousa Produções, acabam de lançar o projeto editorial Cada passo importa, que conta a história de um novo personagem da Turma da Mônica, o Edu. O menino de 9 anos de idade é portador de Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), doença genética rara caracterizada pela deterioração muscular progressiva.

A DMD ocorre em um a cada 5 mil meninos em todo o mundo e sua evolução é rápida, podendo levar ao falecimento do paciente na adolescência ou no início da fase adulta. O sinal mais importante da doença é a perda de força muscular, ou seja, as pessoas com DMD perdem progressivamente a capacidade de realizar atividades simples de forma independente e muitas vezes requerem o uso de cadeira de rodas no início da adolescência.

A primeira história com o novo personagem será lançada em março no Congresso Paulista de Pediatria. O projeto ainda contará com um site com novas histórias do personagem Edu, que também será lançado dia 24 de março.

Segundo Fábio Ivankovich, diretor-geral da Sarepta, o objetivo deste projeto é disseminar informações sobre a doença, que afeta famílias em todo o mundo. “Precisamos chamar a atenção principalmente para a importância do diagnóstico precoce, que pode ser facilitado com a solicitação de um exame de sangue chamado CK. Assim, estas crianças poderão receber um tratamento adequado que deixará a evolução da doença mais lenta. De uma forma lúdica e por meio das histórias com o Edu, temos como intuito fomentar o assunto, valorizar o respeito aos pacientes com DMD e estimular a boa convivência com os amigos na escola e no lazer”, afirma.

Para Mauricio de Sousa, “criar um personagem como este demonstra a preocupação da Turma da Mônica em retratar causas de cunho social. É uma alegria e uma honra imensa para nós. Por meio de histórias cheias de aventura com os personagens da Turma, queremos aproximar o Edu do dia a dia das crianças que enfrentam a Distrofia Muscular de Duchenne diariamente. É um personagem especial que veio para divertir e inspirar”.

 Sobre a Sarepta

 A Sarepta Therapeutics está agindo com urgência para desenvolver medicamentos genéticos de precisão para pessoas cujas vidas estão em risco por causa das doenças raras. A empresa está comprometida com essa missão, no sentido mais amplo e profundo da palavra. Com 25 medicamentos em investigação, representando três modalidades terapêuticas diferentes, inclusive terapias dirigidas ao RNA, terapia gênica e edição de genes. A companhia está avançando em um dos pipelines mais robustos do mercado.

Tem como objetivo desenvolver medicamentos genéticos de precisão capazes de tratar e mudar a vida de 100% das pessoas elegíveis com distrofia muscular de Duchenne (DMD) e aplicar abordagens terapêuticas a outras doenças raras fatais, nas quais possa oferecer o máximo benefício.

Sobre a Mauricio de Sousa Produções

A Mauricio de Sousa Produções é a maior empresa de entretenimento do Brasil, responsável por uma das marcas mais admiradas do país, a Turma da Mônica. A MSP investe em inovação e produz conteúdos em todas as plataformas com a mais alta tecnologia, alinhando educação, cultura e entretenimento. No licenciamento, trabalha com 150 empresas que utilizam seus personagens em mais de 4 mil itens. No universo digital, o canal no YouTube da Turma da Mônica já chegou a 9,2 bilhões de visualizações, sendo a maior audiência para Mônica Toy, conteúdo desenvolvido exclusivamente para esta plataforma; além do engajamento e interações orgânicos com os fãs em mídias sociais. Na área editorial, possui um dos maiores estúdios do setor no mundo e já passou dos 300 títulos, com venda de mais de um bilhão de revistas, responsáveis pela alfabetização informal de milhões de brasileiros.

 

Emilio Figueira

Por causa de uma asfixia durante o parto, Emílio Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Mas nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, autor de uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista, teólogo e personal coach com formação em Programação Neurolinguística. Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais, passando de cinquenta títulos lançados. Ator e autor de teatro. Várias entrevistas na mídia e em jornais. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira é professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.